E de repente, sem que ela resistisse, prendeu-a nos braços, e beijou-a sôbre os lábios, dum beijo profundo e interminável. Ela tinha ficado contra o seu peito, branca, como morta: e duas lágrimas corriam-lhe ao comprido da face. Era assim tam dolorosa e fraca, que êle soltou-a; ela ergueu-se, apanhou o guarda-solinho e ficou diante dêle, com o beicinho a tremer, murmurando:

Em casa do tio Gião ouvi hontem dizer que os monarchas formaram o congresso de Laybac para enfrear as demasias da liberdade, e que D. João VI não levára a mal que o governador da Ilha Terceira resistisse á proclamação do systema constitucional. Vejo-a muito enfronhada em politicas de seu tio desembargador Gião, minha senhora D. Julia! observou graciosamente o commendador.

Não havia inscripção truncada na epigraphia nem texto ambiguo nos codices que resistisse aos processos da sua sagacidade portentosa. A sua memoria phenomenal dava-lhe a omnipresença de quanto tinha lido no recolhimento de vinte annos de estudo fervoroso e incessante.

Podia approximar-me d'elle de repente, enfraquecel-o ao calor das minhas palavras, ir levemente, astuciosamente, arrebatar-lhe a carteira, saltar, correr, atirar-me para o fundo do meu coupé, e fugir. Mas se elle resistisse? Se perdesse a consciencia da sua dignidade e da humilde debilidade do meu ser? Se me sujeitasse violentamente, se me arrancasse outra vez as cartas? Não podia ser.

«Os officiaes de Lisboa, diz Ruy de Pina, vendo esta mudança da rainha fizeram logo seu ajuntamento, onde Vicente Egas Homem, cidadão velho, entendido e de grave representação fez uma falla com largo recontamento, cuja substancia foi avisar a cidade dos males e perigos, que por as mudanças presentes se lhe apparelhavam; e como para terem por cabeça alguma pessoa que por ella os resistisse, lhe era necessario elegerem e tomarem alferes, apontando logo o capitão Alvaro Vaz de Almada, que da cidade fôra o derradeiro alferes, como por outros muitos e mui dignos merecimentos e louvores, que d'elle com verdade recontou; no que todos consentiram, e por dois cidadãos o enviaram logo chamar por quanto era fóra da cidade; e em chegando á Ribeira, sendo sabida a determinação sobre que vinha, se ajuntou com elle a mór parte da cidade e assim acompanhado com grande honra foi levado á camara, onde por os vereadores com certas cerimonias e largas palavras de grande seu louvor e muita confiança, lhe foi entregue a bandeira da cidade com suas condições; e elle a recebeu com palavras cortezes, e discretas, e de grande esforço; porque era cavalleiro que n'este reino e fóra d'elle por experiencias mostrou, que isto e muito mais de louvor havia n'elle, em França por sua ardideza e bondades foi feito conde de Abranches, e em Inglaterra por sua valentia foi recebido por companheiro da ordem da Jarreteira, de que principes christãos, e pessoas de grande merecimento são confrades; e em Portugal por todas estas, e mais por sua linhagem e fidalguia mereceu ser como foi capitão-mór do mar» .

Depois, o eterno drama dos amôres contrariados: espiões, todos os olhos que a fitavam; criadas compradas; a familia insistindo cada vez mais pela profissão... vagamente se fallava em liberdade. Da França vinham flammulas de luz. O namorado pedia-lhe que resistisse... o governo miguelista seria vencido em breve. Era a sua esperança!

Que artes teem os malditosl exclamou o capellão lembrando-se de que não haveria thesouro que resistisse á astucia franceza. Deixe ouvir... observou a morgada. Eram vinte e tantos os barcos, que pretendiam abicar á praia do Camarido. Trez separaram-se, ao descer o rio, e chegando primeiro á praia, os soldados desembarcaram.

E mais desgraçado! Não te lembras que a irmã era muda? Muda, sim. A este tempo havia caído Graça Strech em lethal modorra, e retiravam-se os dois soldados receiosos de que o tenente não resistisse ao ferimento. Todavia, como poderemos ver pelo capitulo seguinte, não tinha de ser aquella a ultima hora da attribulada existencia de Graça Strech. Historia de Napoleão Bonaparte, pelo dr.

que os taes conspiradores tinham rasão em estar com medo, isso tinham, porque parecia mesmo impossivel que Portugal resistisse. Tambem o que nos valeu foi a asneira dos hespanhoes, que nos primeiros dois annos não fizeram senão dar um rebate falso a uma praça, atacar outra, escaramuçar aqui, disparar uns tiros alem. Parecia que estavam incumbidos por D. João IV de fazer andar os nossos soldados na recruta. Em 1644 é que, pela primeira vez, fizeram assim movimento mais serio, mas tinhamos então soldados velhos, commandados por um bom general, Mathias de Albuquerque, e os amigos hespanhoes levaram a primeira sova mesmo na sua terra, em Montijo; em 1646 nova batalha em Telena, mas n'essa perdemos nós mais do que lucrámos, ainda que os hespanhoes com isso nada ganharam tambem, porque voltaram á costumeira antiga. Emfim, para encurtar rasões, quando D. João IV morreu, em 1656, estavamos havia dezeseis annos n'aquella brincadeira, hoje íamos nós á Hespanha e apanhavamos gado, ámanhã vinham elles e levavam-nos o nosso. Mas quem lucrava com isso?

Embora resistisse á exposição da sua estreada musa, não se conteve que, despedindo-se de cada uma das senhoras da casa, disse, á puridade, a D. Adelaide: V. ex.^a verá as trovas que Deus viu, e ninguem mais verá no mundo. D. Adelaide ficou embaçada.