Meu filho disse-lhe o padre Filippe, apresentando-lhe um cofre de ferro quadrado eu e madre Paula temos até hoje sido depositarios de uma fortuna que te pertence e que fomos encarregados de te entregar logo que hajas attingido a maioridade e possas por lei dispôr do que é teu. Estão n'este cofre oitocentos contos que te pertencem.

Uma illustração das atrocidades que ás vezes accompanham o roubo de creança, foi descoberta em Changhae pouco tempo depois da abertura d'esse porto. Foi ali exhibida uma creança cuja cabeça indicava ter chegado á maioridade, tendo porem o tronco o os restantes membros dimensões infantis.

Todos nós sabemos que esta ou aquella pensão é, entre muitas outras, mais explicavel pela generosidade do que pela justiça. Mas a que se conceder á memoria de Camillo, na pessoa de seus netos, pelo menos até á maioridade d'elles, alem de poder ser a mais parcimoniosa de todas, será a mais justa entre as que a si mesmas se justificam plenamente.

E, por isso, a sua presença no congresso, representou um alto serviço prestado ao livre-pensamento, o qual, como tão bem o disse Hector Denis, entrou definitivamente no dominio da acção e da vida, proclamando a sua maioridade e a sua capacidade organisadora e creadora. De hoje, em deante ninguem o poderá accusar de ser apenas um elemento de revolta e de negação.

Vossa alteza chegou á maioridade; as cortes da nação prestaram-lhe venia; em torno de vossa alteza quarenta ou cincoenta servidores, antigos militares, antigos ministros, antigos magistrados, beijam-lhe a mão em cada manhã, fazendo alas, de dorso curvo e d'olhos no chão, para que vossa alteza passe, intemerato c magestoso, da sala em que lhe servem o seu latim para a sala em que lhe servem a sua merenda; vossa alteza é o herdeiro presumptivo do throno, é o regente do reino em nome do rei, é o senhor de Guiné e da conquista, navegação, commercio da Ethiopia, Arabia, Persia e da India; e todavia não é senhor de tomar simplesmente um bilhete de no vapor da outra banda e de ir a Cacilhas, sem licença previa de sua augusta mãe.

Ahi, a missão do Estado é preparar a elevação progressiva do ensino popular, até o ponto em que, attingida a maioridade mental, possa ficar entregue ao livre confronto das confissões o preparo espiritual das novas gerações. Dêsse dever decorre a obrigação moral por parte do Estado de não esmagar crença alguma, de assegurar a todos o ambiente de paz e da tolerancia a que tem direito.

Quando é, porém, que os povos poderão celebrar, no mundo, o supremo beneficio da paz, do amor e da concordia?! Quando é que o homem se libertará, por completo, dos velhos prejuizos selvagens e das antigas e barbaras tradições? Quando soará a hora da completa maioridade e da completa emancipação? A humanidade caminha, lentamente, é certo! mas caminha... Confiemos no futuro!

Isto é impossivel que seja racional, sensato. Essa immensa tutela de milhões de homens por seis ou sete homens é forçosamente absurda. Deve haver um dia em que a sociedade, como os individuos, chegue á maioridade. Não receeis que a descentralisação seja a disgregação.

Pouco se sabe d'aquelle tempo. Ia pelo reino todo uma confusão de seiscentos demonios. O que é certo é que, quando D. Sancho II chegou á maioridade, estava tão costumado a não ser rei que não soube puxar pelos seus direitos. E não era que elle fosse fraco. Pois não! pelo contrario! Era da raça do avô, não estava bem senão a cavallo e com os mouros de volta.

«A Invenção dos outros quadros, que he igualmente poetica, e pittoresca, contém: a educação da Rainha: o ajuste do seu casamento com Henrique IV.: O casamento effectuado: o desembarque da Rainha em Marselha: a Cidade de Lyão, que lhe sahe ao encontro: o nascimento do Delphim: Henrique IV. se dispõe a partir para a guerra d'Alemanha, em soccorro dos Marquezes de Brandeburgo, e de Neuburgo: coroação da Rainha como Regente: Apotheose de Henrique IV., e Regencia da Rainha: o seu governo: viagem militar da Rainha á Ponte de , para reprimir a guerra civil: a troca das duas Rainhas, Isabel de França, que casou com Filippe IV., e Anna de Austria, com Luiz XIII., em 9 de Novembro de 1615: felicidade da Regencia: maioridade de Luiz XIII.: fugida da Rainha do Castello de Blois, onde seu filho a tinha presa: a Rainha acceita a paz, e a conclue com seu filho: a mesma paz confirmada no Ceo: o tempo descobrindo a Verdade.