Bem que sou uma mulher de edade, e por desgraça estou aqui n'esta casa da prima do sr. morgado como dispenseira, e aia da fidalga. E que é da tal fidalga? Anda a viajar pela Europa. Onde é a Europa? perguntou D. Theodora colerica. A Europa é este mundo por onde anda a gente, minha senhora respondeu promptamente a viuva. Mas é longe onde está a tal prima de meu marido?

Era a minha pequena visinha da casa pegada, de quem eu não déra até então. Assim invocada, a menina rica franziu levemente as sobrancelhas e lançou um olhar de rainha para o sitio d'onde vinha a supplica. Vendo uma criança, pouco mais ou menos da sua idade, serenou e, encolhendo os hombros, respondeu: « não presta!... Está esmurrada!...»

Elle ficou satisfeitissimo e participa-me que vem ver-nos. Chega ámanhã, talvez... Deixa ver... disse Laura estendendo a mão para o telegramma. Curiosa!... respondeu elle, rindo. Fez uma bola com o papel, e lançou-o ao fogão. Laura pensou immediatamente: Bate-se ámanhã com Lauretto Mina.

Porque a bala que estamos discutindo, respondeu promptamente J.-T. Maston, deve ser bastantemente volumosa para solicitar a attenção dos habitantes da Lua, se é que os ha.

Á deferencia d'esta camara o Governo respondeu com o silencio; á confiança d'ella na sua illustração, na sua justiça, na sua lealdade respondeu com uma das propostas apresentadas na Camara dos Senhores Deputados pelo Ministro da Fazenda, na sessão de 11 de abril, proposta relativa ao imposto do real d'agua, inteiramente connexa com a pretensão do municipio de Belem, e cuja approvacão sem restricções importa uma negativa ás suas justissimas súpplicas.

O homem forte suspirou, e respondeu:

Os sentimentos do coração os posso agradecer com amizade. E eu lhe pedi mais alguma coisa, senhor Simão?! Nada me pediu, Marianna; mas obriga-me tanto, que me faz mais infeliz o pêso da obrigação. Marianna não respondeu, chorou. E porque chora? tornou Simão carinhosamente. Isso é ingratidão.... e eu não mereço que me diga que o faço infeliz.

Vou para Barcellos respondeu serenamente o hospede Basta de vida regalada: vamos ao trabalho, que é o unico regalo dos infelizes. Estou aqui deslocado, meu amigo. Esta vida do teu galhardo Porto não se fez para mim. Ha de ser-me mais consoladora a soledade e a tristeza de minhas irmans. Desgraçados com desgraçados. Mas interrompeu Felisberto que vaes fazer em Barcellos?

Assim houvesse ella juizo. Entrei em casa com cara de quem voltava da missa. Meu tio estava almoçando. Quem é? perguntou ouvindo os meus passos, e sem volver os olhos. Sou eu... tio... respondi, entre dentes. Quem? O Sr. moço; respondeu por mim Nicoláo. Senta-te, meu filho; o almoço não se diminuio, nem o jantar... nem o amor. Disse com natural bondade.

A estas e outras razões respondeu el-rei que dizia bem, e que lhe puzesse em escripto quanto era o que renderiam seus direitos, e a despeza que se d'ello fazia.