Antonio dava o ultimo puxão ao collête, e limpava a terceira camada de suor que lhe envernizava as pandas bochechas. O negociante ergueu-se, himpando, e levou ambas as mãos ao chapéo, que apenas levantou da cabeça meio calva.

E, na sua fraqueza, o espirito humano amortece, desespera e cáe quando apagado ou destruido o symbolo em que para elle estava, mesquinhamente, a realidade inteira. O funesto acaso da queda de um cavallo, matando o principe Affonso , foi para D. João II como o tiro do caçador, quando n'um instante precipita, ás voltas, o passaro que de azas pandas vogava, inebriado, no oceano do ar e da luz.

Pandas as brancas velas, Atravessadas pela cruz de Christo, Eis no liquido argento As fortes, portuguezas caravellas Correm ao sopro do inconstante vento. Assim na edade-media a Europa ha visto, Assignalados por egual emblema, Passarem os guerreiros Á Asia, para em rabido combate De annos e annos inteiros Dar ao sagrado tumulo o resgate.

Ao dobrar a costa meridional da Secilia, em aquelle afastar-se cada vez mais da patria em busca de regiões desconhecidas, o ardor, com que desejava chegar ao termo da sua viagem, era muitas vezes amortecido pela impressão viva da saudade, que deliciosa e acerbamente lhe dilacerava o coração. A náu singrava, assoprando-lhe galerno o vento, que lhe fazia as velas pandas.

49 "Eis mil nadantes aves pelo argento Da furiosa Tethys inquieta Abrindo as pandas asas vão ao vento, Para onde Alcides pôs a extrema meta. O monte Abila e o nobre fundamento De Ceita toma, e o torpe Mahometa Deita fora, e segura toda Espanha Da Juliana, , e desleal manha.

Eis mil nadantes aues pello argento Da furioſa Tetis inquieta, Abrindo as pandas aſas vão ao vento Pera onde Alcides pos a extrema meta: O monte Abila, & o nobre fundamento De Ceita toma, & o torpe Mahometa Deita fora, & ſegura toda Eſpanha Da Iuliana, , & desleal manha.

Reanimado de eloquencia propria do pae e do levita, o arcediago chamou sua filha á parte, e recapitulou, á ultima hora, as admoestações do dia anterior. Recalcitrou a desobediente rapariga. Fumegaram as pandas ventas do sacerdote.

Que eu dele a empreza fio; que entre os Luzos Eu quero que ele sustente a guerra. Depois um giro faze, e aos meus Soldados De toda a Luzitania que em Coimbra Axarse devaõ logo intíma as ordems. Dise, e partiu voando o mensajeiro, Até que as pandas azas encolhendo, Das letras, e das lamas sobre a Terra Os talares pouzou bordados d'oiro.

No rio embandeiravam-se navios ligeiros e airosos. Velas de faluas passavam, largas, pandas, como monstruosas gaivotas n'um vôo sereno.