MAGDALENA so, sentada junto á banca, os pés sôbre uma grande almofada, um livro aberto no regaço, e as mãos cruzadas sôbre elle, como quem descahiu da leitura na meditação. *Magdalena*, repettindo machinalmente e de vagar o que acaba de ler. «N'aquelle ingano d'alma ledo e cego Que a fortuna não deixa durar muito...»

O povo cantando não separa os hemistychios d'estes versos como fazem os que os escrevem: e ao contrário nos romances da medida mais commum, o canto popular reparte distinctamente cada membro de oito syllabas sôbre si. Não sei se me ingano, mas desconfio que as quatro coplas últimas, em que muda completamente a rhyma, sejam additamento posterior feito á cantiga original.

*Miranda*. A vós; e que por fôrça vos hade ver e fallar. *Magdalena*. Ide vê-lo, Frei Jorge. Ingano hade ser: mas ide ver o pobre do velho. *Miranda*.

Leia V. m. na primeira pagina, e logo achara falando da Medicina estas palavras Consegueriamos huma melhor utilidade sem o suffragio deste chamado bem, do que com a entruducçaõ deste ingano!

Carlos estremeceu... hesitou, corou, fez-se pallido... quiz dizer-lhe a verdade e não ousou... Porquê?.. E que verdade era essa? Não a direi eu, ja que elle a não disse: fiel e discreto historiador, imitarei a discrição do meu heroe. Pois era discrição a d'elle? Não... em verdade, era outra coisa. Era um pensamento reservado? Não. Era tenção , ingano premeditado, era?.. Não, tambem não.

O povo cantando não separa os hemistychios d'estes versos como fazem os que os escrevem: e ao contrário nos romances da medida mais commum, o canto popular reparte distinctamente cada membro de oito syllabas sôbre si. Não sei se me ingano, mas desconfio que as quatro coplas últimas, em que muda completamente a rhyma, sejam additamento posterior feito á cantiga original.

Carlos estremeceu... hesitou, corou, fez-se pallido... quiz dizer-lhe a verdade e não ousou... Porquê?.. E que verdade era essa? Não a direi eu, ja que elle a não disse: fiel e discreto historiador, imitarei a discrição do meu heroe. Pois era discrição a d'elle? Não... em verdade, era outra coisa. Era um pensamento reservado? Não. Era tenção , ingano premeditado, era?.. Não, tambem não.

Com paz e alegria d'alma... um ingano, um ingano de poucos instantes que seja... deve de ser a felicidade suprema n'este mundo. E que importa que o não deixe durar muito a fortuna? Viveu-se, póde-se morrer. Oh que amor, que felicidade... que desgraça a minha! *Telmo*, chegando aopé de Magdalena que o não sentiu entrar. A minha senhora está a ler?... *Magdalena*, despertando.